Unção dos Enfermos

Em que consiste

Pela sagrada Unção dos Enfermos e pela oração dos presbíteros, a Igreja toda entrega os doentes aos cuidados do Senhor sofredor e glorificado, para que os alivie e salve.Exorta os mesmos a que livremente se associem à paixão e morte de Cristo e contribuam para o bem do povo de Deus”.

A enfermidade e o sofrimento sempre estiveram entre os problemas mais graves da vida humana. Na doença, o homem experimenta sua impotência, seus limites e sua finitude. Toda doença pode fazer-nos entrever a morte.

A enfermidade pode levar a pessoa à angústia, a fechar-se sobre si mesma, e às vezes até ao desespero e à revolta contra Deus. Mas também pode tornar a pessoa mais madura, ajudá-la a discernir em sua vida o que não é essencial. Não raro, a doença provoca uma busca de Deus, um retorno a ele.

Cristo convida seus discípulos a segui-l0 tomando cada um sua cruz. Seguindo-o, adquirem uma nova visão de doença e dos doentes. Jesus os associa à sua vida pobre e de servidor. Faz com que participem de seu ministério de compaixão e de cura: “Partindo, eles pregavam que todos se arrependessem. E expulsavam muitos demônios, e curavam muitos enfermos” (Mc 6,12-13) .

O Senhor ressuscitado renova este envio (“Em meu nome… eles imporão as mãos sobre os enfermos e estes ficarão curados”: Mc 16,17-18) e o confirma através dos sinais realizados pela Igreja ao invocar seu nome. Esses sinais manifestam de um modo especial que Jesus é verdadeiramente “Deus que salva”.

O Espírito Santo dá a algumas pessoas um carisma especial de cura para manifestar a força da graça do ressuscitado. Mesmo as orações mais intensas não conseguem obter a cura de todas as doenças. Por isso, S.Paulo deve aprender do Senhor que “basta-te a minha graça, pois é na fraqueza que minha força manifesta todo o seu poder” (2Cor 12,9), e que os sofrimentos que temos de suportar podem ter como sentido “completar na minha carne o que falta às tribulações de Cristo pelo seu corpo, que é a Igreja” (Cl 1,24).

“Curai os enfermos!” (Mt 10,8). Esta missão, a Igreja a recebeu do Senhor e esforça-se por cumpri-la tanto pelos cuidados aos doentes quanto pela oração de intercessão com que os acompanha. Ela crê na presença vivificante de Cristo, médico da alma e do corpo. Esta presença age particularmente através dos sacramentos e, de modo especial, pela Eucaristia, pão que dá a vida eterna a cujo liame com a saúde corporal São Paulo alude.

< Voltar

Imprimir