Notícias › 29/11/2018

Papa aos franciscanos na Síria: os mártires semeiam cristãos para o futuro

O Papa Francisco enviou uma carta, na quarta-feira (28/11), aos frades franciscanos na Síria.

A missiva é uma resposta do Pontífice aos frades que lhe enviaram uma carta, partilhando o seu testemunho nessa terra martirizada.

Francisco afirma estar próximo aos frades e às comunidades cristãs na Síria “tão provadas pela dor vivida na fé em Jesus Cristo. Quanto sofrimento! Quanta pobreza! Quanta dor de Jesus que sofre, pobre e expulso de sua Pátria. É Jesus! Isso é um mistério. É o nosso mistério cristão. Em vocês e nos habitantes da Síria amada vemos Jesus que sofre”.

“Nada além do martírio pode marcar a maneira própria do cristão de participar da história da salvação da humanidade.
“ Os mártires levam adiante o Reino de Deus, semeiam cristãos para o futuro, são a verdadeira glória da Igreja e nossa esperança. ”

Esse testemunho é um alerta a não se perder, mesmo no meio da tempestade. Não poucas vezes o mar da vida nos reserva a tempestade, mas das ondas existenciais nos chega um sinal inesperado de salvação: Maria, a Mãe do Senhor, atônita, em silêncio, olha o Filho inocente crucificado que enche de sentido a vida e a salvação do povo”, frisa o Papa na carta.

O Papa assegura aos frades franciscanos na Síria sua “constante recordação na Comunhão Eucarística a fim de que a dor inexprimível seja transfigurada na esperança divina que o Apóstolo Paulo confirma na sua Carta aos Romanos: «Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada? Como está escrito: Por tua causa somos postos à morte o dia todo, somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro. Mas, em todas essas coisas somos mais do que vencedores por meio daquele que nos amou».

Francisco pede a Nossa Senhora para que proteja os frades franciscanos na Síria sob o seu Manto de Graça e que interceda por eles o dom da perseverança.

O Papa abençoa todos os frades e as famílias cristãs confiadas à sua custódia corajosa.

Via Vatican News

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *